para que servem os sindicatos
Walter Beirith
Walter Beirith

Para que servem os sindicatos e como funcionam

Quer conhecer mais sobre os sindicatos? Veja como funcionam os sindicatos e para que servem os sindicatos neste conteúdo exclusivo!

Você sabe para que servem os sindicatos? Desempenhando um papel fundamental na representação dos empregados, poucas pessoas compreendem para que servem os sindicatos, deixando de socorrer-se e até mesmo apoiar nos momentos necessários.

Quer saber mais sobre o papel dos sindicatos? Confira:

Índice do artigo

Para que servem os sindicatos

para que servem os sindicatos
Entenda para que servem os sindicatos e como funciona a “luta” pelos direitos dos empregados

O sindicato se trata de uma associação de trabalhadores que batalham pela defesa dos interesses e direitos da classe, onde os trabalhadores tem liberdade para se unirem ao grupo de afiliados.

A Constituição Federal de 1988 reconheceu o direito à filiação em sindicato, direito à greve, a luta pela dignidade do trabalho e em seu artigo 8º registra o seguinte:

“ao sindicato cabe a defesa dos direitos e interesses coletivos ou individuais da categoria, inclusive em questões judiciais ou administrativas”.

Desta maneira, pode-se dizer que o sindicato serve para negociar de maneira coletiva, reivindicar legalmente em ações na Justiça e ainda fazer parte da formatação da legislação laboral, levando em consideração os problemas da classe representada que aparecem em função do exercício do trabalho e também se atenta as condições sociais do trabalhador como cidadão brasileiro.

Para facilitar o entendimento podemos colocar em um caso concreto. Considere a seguinte situação:

Se o lugar de trabalho não conta com condições apropriadas, faltam máquinas ou o reparo desses equipamentos é insuficiente, cabe ao sindicato da categoria repassar todas as informações sobre o acontecimento aos responsáveis, os quais devem tomar as devidas atitudes para que o problema seja resolvido rapidamente.

Normalmente, as pessoas tendem a confundir as ações sindicais com ações de gestão.

Ações do sindicato

As ações do sindicato de qualquer classe trabalhadora favorecem não somente a defesa do interesse de seu afilhado, mas também ajuda na evolução da sociedade em geral.

Diversos funcionários cogitam se sindicalizar quando estão passando por problemas graves, no entanto, nesses casos específicos pode ser tarde demais.

As ações isoladas dão origem a conceitos vagos, errôneos e conturbados diante dos dilemas de todo a categoria e o posicionamento que deve ser tomado por esse profissional, termina por impactar negativamente toda a sua classe.

Desta maneira, é essencial compreender que se sindicalizar demanda o fortalecimento dos seus próprios interesses, individuais e coletivos, levando em consideração que o sindicato acaba divulgando dados importantes e que o trabalhador normalmente não tem acesso se estiver por conta própria.

Responsabilidades dos sindicatos

acordo coletivo responsabilidade sindicato
Dentre as funções do sindicato está a negociação de acordos coletivos da categoria

Basicamente, trata-se de um investimento pessoal e também voltado a toda categoria. Vale destacar que é de responsabilidade do sindicato:

  • Articular os acordos e convenções coletivas de trabalho;
  • Ajudar o sindicalizado juridicamente no momento da ruptura de seu contrato de trabalho;
  • Receber e dar prosseguimento a denúncias de cunho trabalhista como situações de assedio moral, assedio sexual, coação, atividade ilegal da profissão, irregularidades no vínculo de trabalho;
  • Dialogar com o empregador em casos de exigências e/ou movimentos grevistas e na duração da jornada de trabalho;
  • Proteger os direitos conquistados, entre outras obrigações;

No fim das contas, cabe ao sindicato representar de forma digna e correta o seu afiliado.

Vale lembrar, os sindicatos também podem ajudar os seus afiliados com o oferecimento de conhecimento na sua área de atuação através da realização de atividades diferenciadas como: palestras, reuniões, cursos de capacitação. Essas ações são direcionadas para o aprimoramento e crescimento profissional dos respectivos associados.

Centrais Sindicais

No país, há as denominadas “centrais sindicais”. Essas centrais concentram os sindicatos de várias categorias profissionais com o intuito de facilitar as negociações coletivas com os sindicatos patronais, fortalecer a classe trabalhadora e também as ações coletivas. Cabe às mesmas o diálogo com governo para solucionar questões macro, como reforma da previdência, flexibilização da legislação trabalhista, etc.

Como é mantido o sindicato?

Normalmente os sindicatos são mantidos através dos próprios trabalhadores afiliados, já que contam com as contribuições sindicais pagas por todos os associados.

Com a reforma trabalhista, as contribuições sindicais que antes eram obrigatórias e correspondiam a 1 dia de salário por ano, tornaram-se opcionais. Contudo, vale lembrar, o sindicato é a entidade responsável por lutar pelos direitos dos trabalhadores da categoria e sem ele muitos direitos não teriam sido adquiridos.

Assim, o trabalhador que é filiado tem todo o direito de solicitar o esclarecimento de alguma dúvida trabalhista ou pedir suporte jurídico em alguma pendência com seu empregador.

Como surgiram os primeiros sindicatos

A Revolução Industrial, que aconteceu na Inglaterra durante o século 18, foi de extrema importância para o fortalecimento dos direitos dos trabalhadores, a organização das classes e, consequentemente, para o surgimento dos primeiros sindicatos da história.

A partir da Revolução Industrial, os primeiros sindicatos começaram a se organizar e se espalhar por todo o planeta. No início, as associações de trabalhadores recebiam o nome de “trade unions”.

Por isso, é fundamental que o trabalhador sempre busque por informação e esteja atento aos direitos de sua categoria. Quer tirar dúvidas e tem dificuldade de entrar em contato com o sindicato? Sem problemas, ajudamos você!

Entre em contato ou pelo formulário abaixo:

    Seu nome*

    Seu telefone*

    Sua Cidade*

    Seu e-mail*

    Assunto*

    Resumo do caso

    Compartilhe este post!

    Você pode gostar também: