leis trabalhistas férias
Beirith Advogados

Beirith Advogados

Leis Trabalhistas Atualizadas sobre Férias e Seus Direitos

O direito a férias do empregado é garantia pela CLT e Constituição Federal, mas poucos conhecem realmente as leis trabalhistas sobre férias, pagamento em dobro, férias vencidas e muito mais.

Leis Trabalhistas Atualizadas sobre Férias e Seus Direitos

O direito a férias do empregado é garantia pela CLT e Constituição Federal, mas poucos conhecem realmente as leis trabalhistas sobre férias, pagamento em dobro, férias vencidas e muito mais.

A legislação trabalhista muda de acordo com a compreensão e entendimento das cortes superiores, o que chamamos de jurisprudência ou entendimento jurisprudencial, por isso é importante buscar sempre conteúdos sobre as leis trabalhistas e férias atualizados.

leis trabalhistas férias
leis trabalhistas férias

Dúvidas quanto as suas férias? Afinal, o que a lei trabalhista fala sobre férias remuneradas e a sua concessão? Neste conteúdo você entenderá tudo sobre as férias, pagamentos e situações especiais:

  • Férias Coletivas;
  • Férias Vencidas;
  • Como funcionam as férias acumuladas e pagamento em dobro das férias;
  • Férias antecipadas;
  • Venda de férias;

O que são e Como Funcionam as Férias Coletivas

As férias coletivas são concedidas de forma simultânea a todos os trabalhadores de um determinado setor ou empresa, mesmo que não completado o período aquisitivo (12 meses de trabalho). Costuma ser utilizada por grandes indústrias e empresas para diminuir custos ou até mesmo devido à queda de produção em determinado período.

Regras que a empresa deve observar ao conceder férias coletivas

As empresas que concederem férias coletivas precisam observar determinados parâmetros legais, são eles:

  • Conceder as férias geral a um setor ou empresa, sob pena de ser anulado o conceito de férias coletivas. Ou seja, não se pode escolher 3 de 6 empregados para conceder férias coletivas de um setor, é preciso que seja para todos.
  • O período máximo de férias coletivas é 30 dias, podendo ser dividido em no máximo duas vezes. Ainda, o período das férias não pode ser inferior a 10 dias.
  • O aviso das férias coletivas deve ser realizado aos empregados com pelo menos 15 dias de antecedência.
  • É obrigatória a comunicação formal ao Ministério do Trabalho e o Sindicato da categoria, enviando cópia da comunicação. Também, as cópias devem ser anexadas em locais da empresa.

Cuidado: É proibido fracionar/dividir as férias de menores de 18 anos e maiores de 50 anos, neste caso, a empresa precisa fornecer férias individuais para estes casos e, posteriormente, as coletivas para os demais trabalhadores. A penalidade pelo descumprimento é uma multa dre 160 UFIR para cada empregado.

Direitos dos trabalhadores de acordo com as leis trabalhistas para férias coletivas

Nas férias coletivas, é direito do empregado integrar na remuneração e cálculos de férias os adicionais ao salário bruto como: adicional noturno, horas extras, insalubridade, entre outros.

O trabalhador não pode recusar as férias coletivas, já que é opção do empregador conceder férias de acordo com as suas necessidades, devendo, tão somente, informar com pelo menos 15 dias de antecedência.

Pagamento das férias coletivas

O pagamento das férias coletivas deve ocorrer no mínimo 2 dias antes ao início do período, acrescido de 1/3.

Os empregados que não completaram o período aquisitivo de 12 meses de trabalho receberão férias proporcionais.

Por exemplo, supondo que o empregado trabalhou apenas 7 meses até o período de férias coletivas, receberá 7/12 da sua remuneração, acrescido de 1/3.

“João recebe R$ 1.200 reais mensais, trabalhou 7 meses e entrou em férias coletivas. Sua remuneração será R$ 700 reais + 1/3 (R$ 231 reais), um total de R$ 931,00 reais”.

Leis Trabalhistas sobre Férias Vencidas

A legislação trabalhista é clara e objetiva ao tratar das férias vencidas, período aquisitivo e concessão. No artigo 134 da CLT está previsto que as férias serão concedidas pelo empregador em um prazo subsequente de até 12 meses após a sua aquisição (12 meses trabalhado), veja:

Art. 134. As férias serão concedidas por ato do empregador, em um só período, nos 12 (doze) meses subsequentes à data em que o empregado tiver adquirido o direito.

Assim, dizemos que existem 2 períodos importantes no tocante às férias:

  • Período de aquisição: é o momento em que o trabalhador presta serviço por 12 meses e, após completar este prazo, tem direito a férias.
  • Período de concessão: após o período de aquisição (12 meses prestando serviços) inicia o período de concessão, que corresponde aos 12 meses subsequentes à data da aquisição das férias. Neste período de concessão deve ser fornecida as férias do empregado, juntamente com o abono de 1/3.

Assim, após adquirir as férias devem ser concedidas em até 12 meses subsequentes. 

Como funcionam as férias acumuladas e pagamento em dobro das férias

Uma dúvida frequente é: o que acontece quando tiver duas férias vencidas? Quando o empregado possui 2 períodos aquisitivos de férias e não os gozou tem-se o que chamamos de férias acumuladas.

Veja um exemplo de férias acumuladas:

“Empregado trabalhou durante 12 meses e o empregador não concedeu as férias nos 12 meses subsequentes, assim, trabalhou novamente por mais 12 meses (total 24 meses sem férias), neste caso, o empregado terá férias acumuladas, pois teve 2 períodos aquisitivos sem férias”.

No caso do acúmulo de férias, a legislação trabalhista prevê o pagamento em dobro.

Quantas férias podem ser acumuladas?

Muitos empregados acreditam que, devido à legislação trabalhista prever que as férias cumuladas não concedidas devem ser pagas em dobro, existe a possibilidade de cumular férias vencidas.

A verdade é que a cumulação (não concessão das férias) é prática ilegal e não pode ocorrer, o que existe é uma previsão de pagamento em dobro como forma de compensar o funcionário por uma prática ilícita ocorrida.

Pagamento das férias vencidas cumuladas em dobro

As férias acumuladas devem ser pagas em dobro pelo empregador, juntamente com 1/3 de abono ou constitucional. Ainda, devem ser considerados neste cálculo os adicionais como horas extras, adicional noturno, insalubridade, periculosidade, entre outros.

O pagamento das férias acumuladas em dobro está previsto no artigo 137 da CLT:

Art. 137. Sempre que as férias forem concedidas após o prazo de que trata o artigo 134, o empregador pagará em dobro a respectiva remuneração.

Outras situações podem ensejar o pagamento em dobro das férias quando comprovados os acontecimentos são:

  • Fracionar as férias por mais de 2 períodos: As férias poderão ser fracionadas em no máximo 2 períodos não inferiores a 10 dias.
  • Obrigar o empregado a usufruir 20 dias e vender as outros 10: Conforme veremos mais a frente, é possível ‘vender 1/3 das férias’, contudo, não pode o empregado ser obrigado pelo empregador.
  • Pagar o empregado depois das férias: A legislação trabalhista é taxativa ao afirmar que o pagamento das férias + 1/3 deve ocorrer em até 2 dias antes da sua concessão.

Venda de Férias ou Abono Pecuniário de Férias

O empregado poderá pedir a conversão de 1/3 do seu período de férias em dinheiro (10 dias), gozando tão somente de 20 dias de férias, contudo, ficará a critério do empregador aceitar ou não.

A possibilidade está prevista no art. 143, da CLT:

Art. 143 – É facultado ao empregado converter 1/3 (um terço) do período de férias a que tiver direito em abono pecuniário, no valor da remuneração que lhe seria devida nos dias correspondentes.

Vale destacar que é proibido, sob pena de ter de indenizar o empregado, o empregador exigir à venda de férias. Esta é uma opção do empregado requerer ou não. Veja também a reportagem do Uol sobre a proibição da venda de férias.

Problemas com suas férias? Deixe-nos ajudar, entre em contato!

Seu nome*

Seu telefone*

Sua Cidade*

Seu e-mail*

Assunto*

Resumo do caso

Compartilhe este post!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email